Encontra-se aqui > Entrada / Associação / História


História

ABEI … a nossa história

A Associação para o Bem Estar Infantil da Freguesia de Vila Franca de Xira, conhecida por ABEI, nasceu em maio de 1975 com o apoio de um grupo de pais e cidadãos vocacionados para a prevenção e resolução dos problemas associados à infância.

Esta Instituição Particular de Solidariedade Social (IPSS) é hoje uma referência no concelho de Vila Franca de Xira, tanto nas respostas sociais de Creche, Ensino Pré-escolar, 1º Ciclo do Ensino Básico e Atividades de Tempos Livres (CATL), como nos equipamentos sociais  de apoio as crianças e jovens em perigo – Centros de Acolhimento Temporário (CAT).

Os valores da Associação foram desde sempre edificados num clima de solidariedade, fraternidade e convergência de esforços para que todo o exercício da sua atividade honrasse de forma idónea e auspiciosa os objetivos a que se tem proposto desde o seu início para com as crianças e com a comunidade em geral.

A Associação tem vindo, desde a sua constituição, a registar um crescimento bastante significativo, criando novos equipamentos sociais, que acrescentam respostas às valências de creche e pré-escolares inicialmente disponíveis, primando pela modernidade e segurança, sem descurar a importância da arquitetura, espaço envolvente e contato com a natureza.

Ciente das lacunas nas respostas sociais no concelho de Vila Franca de Xira, a ABEI, foi além das respostas sociais de Creche, Pré-escolar e CATL, e construiu e inaugurou, durante o ano de 2008, quatro Centros de Acolhimento Temporário (CAT), os quais prestam serviços e desenvolvem atividades dirigidas a crianças e jovens em situação de risco decorrentes de abandono, negligências, maus tratos físicos, psíquicos ou sexuais, bem como outros fatores de risco.

Atualmente conta com mais 6 novos equipamentos, nomeadamente 3 creches e 3 pré-escolares, inaugurados em 2009 e 2010, que vieram aumentar a capacidade das respostas sociais do concelho e permitir a criação de diversos postos de trabalho.

Em 2013 iniciou-se uma nova etapa da vida da ABEI com a primeira turma de 1º ano do 1º Ciclo do Ensino Básico. No ano lectivo de 2014/15 entraram em funcionamento mais duas turmas de 1º ano e uma de 2º. Este novo projeto da ABEI, “Educar dos zero aos doze” pretende levar mais longe o trabalho da instituição no cuidado e educação das crianças e jovens.

Os 5 postos de trabalho inicialmente criados para 50 utentes, em 1975, aumentaram para cerca de 250 colaboradores, os quais prestam diariamente serviço a cerca de 900 utentes.

Importa sublinhar que para o crescimento verificado, foi determinante o distinto esforço e dedicação de todos os corpos sociais e funcionários que têm passado pela Instituição, bem como o apoio prestado por parte dos organismos governamentais, autarquia e demais parceiros sociais.

E porque a Associação não se limitou ao público infantojuvenil, tendo continuamente o intuito de prevenir e apoiar as mais diversas situações de fragilidade, exclusão ou carência humana, candidatou-se, em 2008, ao Programa Modelar no âmbito da Rede Nacional de Cuidados Continuados (RNCCI), visando suprir uma lacuna existente no concelho de Vila Franca de Xira.

Encontra-se já em funcionamento esta Unidade de Saúde, que se materializa como o primeiro Centro de Cuidados Continuados – Unidade de Internamento de Manutenção ou Longa Duração do concelho de Vila Franca de Xira. Dirigida a pessoas em situação de dependência, a resposta social dos Cuidados Continuados tem por objetivo possibilitar uma reabilitação, readaptação e reinserção familiar e social a estes utentes, que apenas é possível através da integração de cuidados proporcionados por diversos profissionais. Técnicos de saúde, de comportamento, de ambiente, de serviço e assistência social, entre outros, criam sinergias que conduzem e a uma recuperação global das pessoas em situação de dependência, independentemente da sua idade.

Avaliando o passado, a Associação projeta o seu futuro, ciente de que, não obstante a sua já longa caminhada pelo trilho da solidariedade, muito há a criar, muito está por desenvolver, e enquanto novas edificações aguardam os adequados momentos, a aposta recai sobre a formação, qualificação e certificação, com o ojetivo de prestar um serviço de qualidade, que se aspira de excelência.

 
   
Subscrever RSS Email