• Quinta dos Bacelos – Rondulha - Estrada do Casal da Coxa, 18 - Vila Franca de Xira

  • (+351) 263 287 200

/fileuploads/Noticias/_artigoluto.jpg
A primeira perda de um ente querido
Como comunicar a uma criança que alguém muito querido, como um avô, morreu? Leia neste artigo a opinião da psicóloga da ABEI.

A morte, por norma, é um assunto tabu na nossa sociedade. É uma temática que nos assusta a todos, embora saibamos que é algo inevitável. Todos nós, adultos, já passamos por perdas de familiares e/ou amigos e prestamos a nossa homenagem a quem partiu e é sempre um acontecimento que nos angustia e passamos por um período de luto. O luto é um processo que decorre após a perda de alguém que amamos, sendo a perda mais irreversível que existe é a morte. O processo de luto é necessário e importante para que exista a integração da perda e a adaptação à morte da pessoa.

A temática da morte e do luto é um assunto tabu na nossa sociedade e tentamos não pensar no nosso quotidiano da irreversibilidade da morte e da nossa própria mortalidade. Mas e quando este tema envolve crianças? Quando morre uma pessoa da família próxima da criança, como um avô, tio ou amigo próximo como conseguimos transmitir a informação que o ente querido faleceu?
Antes de mais é necessário que esta informação seja transmitida por um adulto com quem a criança tenha algum vínculo e que explique de forma simplista e tranquila o que aconteceu ao ente querido, sem o recurso a metáforas. Como exemplo, o adulto tem a tendência para transmitir que o ente querido foi para o céu, que foi viajar, que foi dormir e/ou foi transferido para outro hospital. O não confronto com a realidade acaba com que, dependendo da faixa etária da criança, interpretem no sentido literal e/ou que fiquem com a ideia que irão estar brevemente com a pessoa.

Deste modo, é importante explicar de forma simplista que o ente querido não regressará e que a morte é algo irreversível, tal como o que aconteceu ao corpo da pessoa. Em relação às cerimónias fúnebre, a criança por norma é “protegida” deste ambiente considerado “pesado” e triste. Contudo, a criança pode ser incluída nas cerimónias fúnebres, existindo o cuidado de explicar que é um momento que existe para a família se despedir da pessoa que faleceu e que é normal que se sinta triste no decorrer do velório/funeral. 
A faixa etária da criança é importante a considerar no modo em que o adulto explica o conceito de morte e tudo o que rodeia este tema. Segundo Piaget, de acordo com a sua teoria do desenvolvimento cognitivo infantil, as crianças dos dois aos sete encontram-se no estádio pré-operatório, tendo como uma das especificidades a irreversibilidade. As crianças, nesta fase de desenvolvimento, fazem a ligação da morte a um acontecimento de profunda tristeza, transmitido, também, pelos adultos e o ambiente criado face ao acontecimento. Porém, não conseguem compreender a irreversibilidade que a morte apresenta, ou seja, que o sujeito que morreu, não volta a viver, pelo que, muitas vezes, existe fantasias acerca do regresso da figura significativa ou da ida para junto deste.

As crianças desta faixa etária, devido a terem mais dificuldade de compreender a irreversibilidade inerente ao acontecimento, podem não exteriorizar as suas emoções e, desenvolver brincadeiras e fantasias, para se exprimirem. No estádio das operações concretas, segundo a teoria de desenvolvimento infantil de Piaget, observa-se uma tendência para as crianças, dos sete aos doze anos, começarem a compreender que a morte é algo irreversível e que pode acontecer a qualquer um, incluindo, elas próprias. 
Neste sentido, a partir dos sete/oito anos podemos ser mais objetivos e detalhados face à temática da morte e do luto, devido a uma maior consciencialização da parte da criança acerca do que é a morte e a sua irreversibilidade. Contudo, nas idades inferiores podemos falar acerca desta temática, sem o recurso a metáforas e tentar responder às questões que as crianças colocam, uma vez que será algo que despertará a sua curiosidade.

É uma tarefa difícil para o adulto, que certamente também ele está de luto face à perda ocorrida. Neste sentido, é importante a partilha das emoções experienciadas pela morte do ente querido e não esconder da criança que está a sofrer. O luto é um processo normal e decorrente da perda e é importante exteriorizar as emoções e permitir que a criança também o faça. Igualmente importante é ao longo do tempo partilhar com a criança recordações e momentos vivenciados com o ente querido, de forma que a criança percecione que apesar de fisicamente já não estar presente, a pessoa falecida continua a ser parte da sua vida e da família. 
Em suma, é importante a desmistificação que gira em torno do tema da morte e de forma objetiva explicar à criança todo o processo que envolve esta temática desde à comunicação da morte de um ente querido, à presença nas cerimónias fúnebres e ao processo de luto. A perceção que a criança irá ter acerca da morte irá ser mais realista e poderá, dependendo de vários fatores, estar mais preparada para lidar com a perda.

Irina Ribeiro Crispim

Psicóloga

 

ABEI

Notícias Recentes

Assembleia Geral de Sócios

Assembleia Geral de Sócios

Convoca-se a Assembleia Geral de Sócios da ABEI para o dia 6 de dezembro, pelas 18h00, no Auditório da Quinta dos Bacelos.

Consulte a conovocatória, bem como a ordem de trabalhos, no documento em anexo.

Processo eleitoral na ABEI 

Processo eleitoral na ABEI 

Informam-se todos os associados que está aberto o processo eleitoral na ABEI.
<strong></strong>Dia Mundial de Combate ao Bullying 

Dia Mundial de Combate ao Bullying 

O Dia Mundial de Combate ao Bullying é uma data que pretende alertar as famílias e comunidade, concretamente a escolar, para um fenómeno presente na nossa sociedade. Além de alertar, é importante sabermos a que se refere e os sinais de alerta para a identificação precoce de situações de bullying e o que leva ao seu combate. 
Dia Mundial da Saúde Mental

Dia Mundial da Saúde Mental

A saúde mental tem ganho relevo e a sua importância tem vindo, cada vez mais, a ser valorizada. Contudo, ainda é necessário desmistificar alguns preconceitos, sendo o mais comum de que o psicólogo “é para malucos”!

Nada disso. Este dia serve para quebrar tabus e para dar a conhecer o papel de enorme importância dos profissionais de saúde mental, nomeadamente, o psicólogo.

ASSEMBLEIA GERAL DE SÓCIOS

ASSEMBLEIA GERAL DE SÓCIOS

Vai realizar-se, no dia 22 de junho, a Assembleia Geral da ABEI.

A Assembleia terá início pelas 18h, no Auditório da Quinta dos Bacelos.

Aniversário da ABEI junta mais de 200 pessoas em Vila Franca

Aniversário da ABEI junta mais de 200 pessoas em Vila Franca

Aos 47 anos, a ABEI tem cada vez mais energia! A instituição celebrou o aniversário a 13 de maio e a festa fez-se no dia seguinte, com um peddypapper muito animado, que juntou mais de duas centenas de pessoas em Vila Franca de Xira.
Peddypapper Aniversário da ABEI

Peddypapper Aniversário da ABEI

A ABEI faz 47 anos a 13 de maio e, no dia 14, sábado, vamos comemorar a data com um PEDDYPAPPER em Vila Franca de Xira!
AJUDAR SEM GASTAR COM O SEU IRS

AJUDAR SEM GASTAR COM O SEU IRS

Decida que instituição ajudar com a consignação do seu IRS.
É uma atitude que não tem custos para si e vai estar a AJUDAR SEM GASTAR.
Como falar da guerra às crianças

Como falar da guerra às crianças

É praticamente impossível escapar às notícias sobre a guerra na Ucrânia. Como devemos explicar o assunto às crianças e o que lhes devemos contar? Neste artigo, a psicóloga da ABEI dá algumas dicas para que os pais possam lidar melhor com esta realidade.
Assembleia Geral de Sócios

Assembleia Geral de Sócios

Vai realizar-se, no dia 30 de novembro, a Assembleia Geral da ABEI.
ABEI distinguida com "Selo de Boas Práticas 2021"

ABEI distinguida com "Selo de Boas Práticas 2021"

O trabalho da ABEI em dois projetos - um sobre alimentação e outro sobre a criação de laços na Unidade de Saúde - foi reconhecido com o "Selo de Boas Práticas 2021".
Assembleia da ABEI com participação dos sócios e homenagem a colaboradores

Assembleia da ABEI com participação dos sócios e homenagem a colaboradores

A Assembleia Geral da ABEI foi marcada pela participação ativa dos sócios e pela homenagem e agradecimento a todos os trabalhadores que, apesar das difíceis circunstâncias, se superaram a todos os níveis ao longo dos últimos meses.
Escola da ABEI no “Apps for Good"

Escola da ABEI no “Apps for Good"

Os alunos da ABEI apresentam três projetos no 7º Encontro Regional do “Apps for Good“, que acontece online.

Vote nos projetos da nossa Escola!

Escola da ABEI recebe Bandeira Eco-Escolas

Escola da ABEI recebe Bandeira Eco-Escolas

Pelo 5º ano consecutivo o equipamento dos Bacelos recebeu o galardão Eco-Escolas pelo trabalho desenvolvido no contexto deste projeto que promove uma escola mais sustentável e amiga do ambiente.
46 anos: Parabéns ABEI

46 anos: Parabéns ABEI

No 46º aniversário da ABEI, quem esteve de parabéns foi a nossa equipa!